domingo, 8 de março de 2015

Sarau Poético Feminino na Biblio.




Uma hora dentro do espaço de ATPC - noturno,  uma leitura de um poema de Cecília Meireles, e a palavra  foi  nos revelando. A poesia feminina descrevendo o que vê a sua volta, o olhar feminino sobre ser mulher. A poesia que às vezes dói, nos envolve, nos deixa levar por ela, a palavra vira magia. Nela nos encontramos. Viva a poesia viva de Cecília, Adélia, Cora, Alice, Florbela, Elisa, Flora, Henriqueta.
E viva também  as professoras e os professores que foram mostrando  toda sensibilidade, ao realizarem  a leitura de textos poéticos. Se  permitiram serem seduzidos pela magia poética presente nos textos  destas mulheres.






Lua Adversa
Tenho fases, como a lua
Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e que vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!
Não me encontro com ninguém
(tenho fases, como a lua...)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...
Cecília Meireles 

Nenhum comentário:

Postar um comentário