quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Sarau dos Professores






Para homenagear o nosso Dia do Professor, realizamos  um  Sarau Crônico  durante ATPC,  Uma conversa ao pé do ouvido, da professora e  do professor. Instantâneos   da vida , que se vai tecendo com palavras. Nem  reflexão, nem formação de nossa prática, somente a leitura prazerosa de algumas crônicas, cujos temas hora nos remete a nossa infância, nos bancos de escola, hora nos coloca diante do  nosso cotidiano de professor. Rimos com "Aula de Geometria , de Leo Cunha;  nos emocionamos com "Fábrica de Asas, de Sérgio Vaz;  nos alegramos com a "Reunião de pais", de Fernando Sabino;  nos indignamos com "O Professor de Grego" , de Manuel Bandeira. 
 Nos sentimos próximos  das crônicas lidas. Momentos de intimidade foram por nós, compartilhados. 
 " Um cafuné feito de palavras", nos aproximou durante tão breve tempo de ATPC. Que falta faz  mais momentos assim dentro do espaço escolar. Como são importantes os professores na vida do livro. Como é importante trabalhar as relações interpessoais no âmbito da escola.






























Ao Mestre, a flor

"Adubar a terra
com números e letras
asas e poemas.
Para colher lírios, cravos e alfazemas.
Agricultor,
o bom mestre sabe,
que espinhos e pétalas
fazem parte da Primavera.
Porque ensinar
é regar a semente sem afogar a flor." Sérgio Vaz

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Leitoras e voluntárias ou voluntárias leitoras?

Beatriz Daniel
Os livros sempre estiveram presente em minha vida, principalmente fábulas. Gostava muito de Pinóquio e Patinho Feio. A minha entrada definitiva no mundo da leitura foi graças a esposa de meu pai, que sempre falava do livro:  O Pequeno Príncipe. Um dia, por curiosidade, acabei lendo-o. Nunca ri e chorei tanto ao mesmo tempo. Eu o li duas vezes em um mesmo dia e  nas duas vezes, fiquei muito emocionada. Desde então, nunca mais parei de caçar livros em bibliotecas.  Se não fosse por elas, não teria  me aventurado tanto no mundo da ficção. Por isso decidi ser voluntária na biblioteca da escola. Quero fazer com que outros jovens possam aventurar-se nas páginas dos livros, assim como eu. E estar próxima dos livros  é maravilhoso.

Lilian Nunes

Sempre achei a leitura muito importante, principalmente na vida das crianças. Eu comecei a minha experiência com os livros e as suas maravilhosas histórias, na biblioteca daqui, no 6º ano. Lia diários, contos, crônicas e livros sobre adolescentes. Depois descobri toda a série Fazendo Meu Filme, de Paula Pimenta. Quando acabei  de ler os quatro livros, vi que  aqui tinha quase todos os livros de Nicolas Sparks, Jonh Green e fiquei bem interessada em romances  românticos.  Também leio livros infantis para passar o tempo e porque são muito bons. Decidi ser voluntária na biblio da escola  porque é um lugar em que me sinto bem e gosto de ajudar. A Val e a Arlete são muito queridas dos alunos leitores.


Gabriela Gouveia
A minha entrada no mundo da leitura foi bem cedo. Quando descobri o mundo das letras, lia muito gibi, fábulas e histórias como : Menina Bonita do laço de fita, de Ana Maria Machado. Aliás foi uma grande alegria encontrá-lo  por aqui, enquanto organizava a  estantes dos livros infantis. Um dos livros que também me emocionou foi O Mágico de OZ. Com ele vivi momentos  de grande magia e curiosidade. Quis ser voluntária porque gosto demais de estar entre livros e leitores. Sempre dá para conhecermos colegas bem interessantes.


Juliana Souza 
Eu já tinha o hábito de ler desde pequena, mas o primeiro livro grosso que li foi toda a Saga Crepúsculo, da Stephenie  Meyer. Desde então não parei mais de ler grandes histórias, grandes aventuras. Sou muito apaixonada por romances de ficção e mistério. Também me amarro em mangás.
Por que desejei ser voluntária na biblioteca de minha escola? Porque desejava estar perto  do que amo muito: os livros. E está sendo uma experiencia maravilhosa, afinal quando um livro novo chega, eu já estou bem ali, pertinho dele e correndo para o abraço.




Felicidade é estar bem  pertinho de jovens assim!!!