terça-feira, 8 de maio de 2018

Voluntárias leitoras




Sempre fui apaixonada por literatura e pela busca de conhecimento, quando soube da oportunidade de ser voluntária na biblioteca fiquei muito feliz, pois é um local onde tenho contato com outros leitores e converso com pessoas que se interessam por vários assuntos. Ser voluntária me trouxe maturidade, tanto como leitora quanto como ser humano.
Gosto de todos os gêneros, porém dou preferência aos de filosofia, sociologia e história.
Meu último livro lido foi o clássico "O Pequeno Príncipe", recomendo para todas as idades, pois é um livro do qual podem-se tirar muitas reflexões e lições para a vida.
Meu principal conselho para quem deseja gostar de ler, como eu,  seria: "Não tenha medo de arriscar". A leitura é muito importante para a formação do indivíduo e, como não há gosto pela leitura, mas há o desejo, ideal seria procurar por assuntos de interesse até que seja possível determinar o(s) gênero(s) preferido(s).
 Estarei na biblioteca às segundas-feiras, das 19h às 21h. Apareça para um papo ou uma dica de leitura!  Júlia Beatriz.



Somos alunas gremistas e também voluntárias da biblio. Além de gostarmos muito de colaborar com tudo que diz respeito a nossa vida dentro da escola, também somos leitoras  apaixonadas e sempre que temos um tempinho livre, procuramos ajudar nas cobranças de empréstimos em atraso, na organização, no atendimento. Este ano  decidimos ser voluntárias duas vezes por semana, no período da tarde: terças e quintas, das 14 às 17h. 
Descobrimos que nos identificamos muito com os títulos da Literatura Periférica, pois ela trata muito de nossa realidade. Mas também adoramos ficção- científica, aventura , romance.  Sabia que a leitura desperta , no leitor, o espírito crítico ? Ela é a chave para a nossa cidadania. E então?
Beatriz e Fernanda.

segunda-feira, 9 de abril de 2018

Grêmio Um Só Caminho toma posse.


                             "...eu quero pertencer para que minha força não seja inútil e fortifique uma pessoa ou uma  coisa..." 
Clarice Lispector


Grêmio recebe certificado de gremistas. Agora é só colocar em prática as ações pensadas.

    Em 22 de fevereiro, ocorreu a primeira reunião dos estudantes para tratar sobre a formação das chapas do Grêmio Estudantil 2018. Uma Comissão Pró-Grêmio  foi formada para  assumir a responsabilidade em realizar reuniões com   todos os alunos e  informar sobre as eleições e formação das chapas. A direção disponibilizou computador e impressora para que os comunicados chegassem a todos e deste modo os alunos, que desejassem participar do processo, pudessem se organizar melhor na formação das chapas. Tomando contato com as leis, regras e normas, eles iam discutindo propostas e projetos. Foram muitas reuniões, muitos nomes que entraram, muitos nomes que saíram , mas  no dia 27 de março,  a eleição ocorreu com tranquilidade e  o novo grêmio tomou posse no dia 05 de abril. 

Entre as propostas apresentadas estão:  a reativação da Horta Comunitária e do Bosque de Leitura, música no intervalo, mutirão para arrumar a quadra, campeonato de futebol aos finais de semana, participação nas reuniões de conselho de escola, conselho de classe,  entre outras ações.



     O discurso da presidenta do grêmio : Clara Hoffart, momento de agradecer e firmar os               compromissos assumidos durante sua campanha.








Na convivência com estes alunos gremistas, foi possível perceber uma vontade de mudança e uma vontade de  ser parte desta mudança. Então aqui deixamos  algumas sugestões de leitura, pois ter acesso ao conhecimento é fundamental para  que  estes jovens possam aprofundar suas reflexões sobre o que  significa  estar em sociedade, ser protagonista  no exercício da  participação de uma gestão escolar e visar  mudanças que possam fortalecer  a cidadania e o protagonismo juvenil nas escolas.

quinta-feira, 22 de março de 2018

Mistério, terror, suspense nas narrativas escritas por mulheres.




Quem  pensa que histórias de  crime, suspense e mistério são feitas  somente  por escritores, não sabe muito sobre  estes gêneros narrativos. Sim, há  uma lista considerável de escritoras , inclusive brasileiras,  escrevendo histórias de muito terror, mistério e suspense. E isso não é recente. Os clássicos Entrevista com o vampiro ( Anne Rice)  e Frankenstein ( Mary Shelley )foram escritos por mãos femininas. Só como curiosidade: Mary tinha apenas 19 anos quando criou o monstro que desejava se aproximar dos seres humanos. A incrível escritora, Agatha Christie,  publicou seu primeiro romance no gênero, em 1920, e  suas histórias  continuam conquistando gerações.  O Escaravelho do Diabo, de 1956, de Lúcia Machado de Almeida,escritora brasileira,  até hoje encanta os jovens leitores que gostam de um bom suspense e aventura juvenil.  Vocês já leram algumas das histórias da  Stella Carr ? Ela é uma  das autoras mais lidas no gênero e seus  personagens  continuam fascinando leitores de todas as idades.  Estas escritoras inspiraram e continuam inspirando toda uma nova geração :  Regina Drummond, Rosana Rios,  Heloísa Seixas, Patrícia Melo,entre outras tantas.
Nós separamos alguns títulos que constam  na biblioteca e que são sempre procurados por quem adora  histórias de arrepiar!  Então, o que vocês estão esperando?


 Natasha,  Isabele e Carolina  adoraram a nossa seleção  de  MULHERES PARA LER!

Vampiros  que beijam e  não causam tanto horror,  também são muitos procurados.

A Ana Carolina deseja descobrir se é possível amar um lobisomem, vejam só...

Patrícia Melo  escreve no escuro, borra a fotografia da Rosana Rios
 e tem um frenesi bem diante da Heloísa Freitas.

As histórias de arrepiar da Regina causaram  arrepios 
 até nas personagens da Martha e da Rosana. Uau!!! 

terça-feira, 13 de março de 2018





Olá galera,

Já estamos realizando empréstimos e fazendo novos cadastros.
Aos alunos que nos devem livros: só é possível  uma nova carteirinha com a devolução dos mesmos. Vamos lá?  Quem ficou com O Vendedor de Sonhos? E quem ainda não devolveu  A Hora da Estrela? Já tem  colegas procurando   Ladrão de Raios, Querido John, Fazendo Meu Filme..
Quem foi mesmo que ficou com  Um Ano Inesquecível?  E quem gostou tanto de  A Última Carta de amor, que ainda não devolveu?
Temos muitos livros incríveis em nosso acervo, e teremos também novos   projetos de leitura.
Já participaram de algum outro clube de leitura? Desejariam participar? Aguardem, pois projetos de leitura não irão faltar. E se você já participa ou participou de algum Sarau, venha falar conosco!
Boas leituras!




quarta-feira, 7 de março de 2018

Sim, o semestre começou.



Já tem aluno lendo Lima Barreto. Já tem aluno lendo e declamando Sérgio Vaz. Já tem aluno  sendo protagonista em sua escolhas literárias. Já tem aluno  se organizando para formar as chapas do Grêmio Estudantil 2018. Já tem aluno debatendo questões sobre ética e moral nas aulas da professora Denise. Já tem aluno recendo livros e apostilas para o ano letivo. A nossa Biblioteca Livre já tem novas doações.  É, o semestre já começou. E se, somente  agora, o blog inicia o seu ano de 2018, é porque estávamos dando o suporte necessário para as ações protagonistas de nossos alunos.
Vamos lá para a formação das chapas do grêmio?  Vamos lá ler as informações importantes sobre as leis que garantem a formação dos grêmios estudantis? Que tal começarmos refletindo sobre essa fala de Betinho ( Herbert de Souza), sobre a importância de aprendermos a participar das decisões que interferem em nossa vida?

" Tudo o que acontece no mundo, no meu país,na minha cidade ou no meu bairro,acontece comigo.Então eu preciso participar das decisões que interferem na minha vida."


Se hoje temos esse direito assegurado em nossa legislação, é porque alguém lutou por ele. Então cabe, a nós ,incentivarmos esse processo democrático e lutarmos por nossos direitos. O Grêmio é composto por todos os estudantes matriculados na Unidade Escolar. Atuar no Grêmio Estudantil é desenvolver a cidadania, a convivência, a responsabilidade e a luta por direitos. É a oportunidade do aluno ser  ouvido e ser representado por seus pares. Faça parte desse grupo! Já há chapas formadas que estão precisando de integrantes. 

 Então vamos ter acesso aos documentos  que nos garante esse direito? No site da Diretoria de Ensino Leste 1 ou no site da SEE- SP você poderá encontrar  O caderno Grêmio em Forma, toda a legislação que trata do assunto, bem como os documentos que orientam todo o processo de eleição.




"Alguém precisa começar... se alguém já começou,
alguém precisa continuar...e esse alguém é VOCÊ ! "

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Literatura Contemporânea Lusófona em sala de aula.



Neste último bimestre, a professora  de Português, Patrícia, trabalhou com seminários  de literatura com as  turmas dos  3° anos. Em conversas e reflexões  durante ATPC, ela e as professoras Denise (Filosofia) e Monica ( Arte) desejavam trabalhar com textos  literários contemporâneos em sala de aula. Daí surgiu o projeto: Lendo Literatura Contemporânea Lusófona. Uma olhada na biblioteca e alguns títulos já estavam à mão. Também era uma oportunidade de lerem juntas  e ,deste modo, compartilharem ricas experiências leitoras. A literatura  periférica já é  utilizada em suas aulas, como textos de Sérgio Vaz, Rodrigo Ciríaco, Ferréz, Allan da Rosa, entre outros.  A literatura contemporânea está disponível aos professores e alunos tanto na biblioteca da escola quanto nas bibliotecas municipais de nossa cidade, portanto é leitura de fácil acesso. De acordo com o autor peruano e Nobel de literatura, Mário Vargas Llosa, em seu texto Em defesa do romance " a literatura não é um mero passatempo, pois ela é desses denominadores comuns da experiência humana, graças ao qual os seres vivos se reconhecem e dialogam, independentemente de quão distintas sejam suas ocupações e seus desígnios vitais, as geografias, as circunstâncias em que se encontram e as conjunturas históricas que lhes determinam o horizonte.  A literatura pode  nos ensinar a ver as diferenças existentes  nas sociedades, além disso,  por meio dela somos capazes de reconhecer o patrimônio cultural e criativo que está a nossa  disposição.
Em um lindo e sensível texto   de Bartolomeu de Campos Queirós, autor do romance Vermelho Amargo e de tantas outras obras incríveis, ele afirma com convicção:
A escola não percebe que a literatura exige do leitor uma mudança , uma transferência movida pela emoção. Não importa o que o autor diz, mas o que o leitor ultrapassa. E a literatura é feita de palavras, e é necessário um projeto de educação capaz de despertar o sujeito para o encontro com as palavras. A escola pode não ter percebido, mas alguns professores já perceberam e já colhem os resultados com suas ações tão assertivas para a educação de nossos jovens. E viva a literatura viva!













sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Livros livres, leves e soltos

Sabe aquele livro que se encontra em sua estante, e que você já leu e não pretende relê-lo? Ou então aquela coleção de títulos que trouxe muita alegria e felicidade na infância? Livros são feitos para serem lidos, para circularem de mãos em mãos. É preciso desapegar-se deles,  deixá-los livres para que  possam encontrar novos leitores. Não seria incrível saber que é possível fazer a felicidade de alguém apenas com uma boa aventura? Ou um bom romance? E um bom livro de poesia, então? Saber que podemos beneficiar pessoas que não têm acesso aos livros, ou que não foram despertadas para o prazer de uma boa leitura, pode ser uma rica experiência, tanto para quem doa como para quem recebe a doação. Livros livres envolvem o encontro com o outro. Além disso, a cultura precisa acontecer nos bairros , e ela pode começar com uma simples ação nossa. Já parou para pensar nisso?
Nós  recebemos muitas doações para a nossa biblioteca: alunos, professores, comunidade e o projeto LÊCOMIGO nos doam ótimos livros, e muitos são exemplares excedentes.  Então decidimos que também podemos doar livros para a nossa comunidade. Livro parado é prejuízo para quem comprou , para quem doou e principalmente para quem não está lendo. Aprendi isso com os queridos Daniele Carneiro e Juliano Rocha, do blog: http://www.bibliotecasdobrasil.com/ . Livros podem ser doados em espaços públicos como praças, postos de saúde, pontos de ônibus,comércio local e onde mais desejarmos. Há também muitas outras possibilidades e uma delas é a criação de bibliotecas livres, como no caso de nossa Geladeira da Leitura, mas esse é assunto para  novas postagens que certamente virão em 2018. 

 As professoras Danielle e Patrícia, além de fortalecerem o incentivo à leitura na região, elas também estão praticando o exercício do desapego. Vamos lá fazer um exercício de desapego em sua estante? 












Doação e troca de livro , na Sala da Leitura do Shopping Penha.
O Projeto tem a parceria da Livraria Nobel, o Centro Educacional Senac,
 e a Escola de Idiomas Yázigi.